Sala de Imprensa

Press releases

Hispasat inaugura uma nova era nas comunicações por satélite com o Amazonas Nexus

6 de Fevereiro de 2023

O Amazonas Nexus é um satélite geoestacionário de alto desempenho, dirigido ao mercado de mobilidade aérea e marítima, que permitirá também o acesso à Internet de alta qualidade em lugares remotos, como a Groenlândia e a floresta amazônica.

A Hispasat é a primeira operadora no mundo a compensar a pegada de carbono derivada do lançamento com a plantação de um bosque.

Cabo Canaveral, 7 de fevereiro de 2023.

A Hispasat inaugurou hoje uma nova era nas comunicações por satélite com o lançamento do Amazonas Nexus. Trata-se de um satélite geoestacionário de alto desempenho, que permitirá o acesso à Internet de alta velocidade em todo o continente americano, nos corredores norte e sul do Atlântico e em zonas remotas, como a Groenlândia e a floresta amazônica. Foi especialmente desenvolvido para oferecer conectividade de alta qualidade em aviões e embarcações, e contribuirá de forma eficaz para reduzir a desigualdade digital na América Latina de uma forma ágil e eficiente.

A missão foi realizada com sucesso no Complexo Espacial de Lançamento 40 (SLC-40) da estação da Força Espacial estadunidense em Cabo Canaveral (Flórida), por meio de um foguete, o Falcon 9 da empresa SpaceX.

Com esta operação, a Hispasat se converte na primeira operadora de satélites do mundo a compensar a pegada de carbono derivada de todo o processo de lançamento. Esta ação será realizada por meio da espécie Sylvestris e integra o compromisso de sustentabilidade assumido pelo Grupo Redeia em todas suas atividades.

Nova Tecnologia

Este novo satélite representa um avanço tecnológico que reforça a posição da Hispasat na vanguarda da indústria de satélites. O Amazonas Nexus, fabricado a partir da plataforma Spacebus NEO da Thales Alenia Space, conta com um Processador Digital Transparente (DTP) de última geração, que permite estabelecer comunicações com um único salto em toda sua área de cobertura e lhe proporciona uma flexibilidade máxima que facilitará sua adaptação às futuras mudanças na demanda de serviços durante seus mais de 15 anos de vida útil.

Graças à sua arquitetura multiponto, o Amazonas Nexus pode reutilizar a frequência de transmissão e, portanto, incrementar seu desempenho em órbita. Além disso, se trata de um satélite de propulsão elétrica, portanto, mais leve, pesando 4,1 toneladas de massa de lançamento. Isso reduz os custos de sua colocação em órbita, porém dilatará até julho sua chegada à órbita geoestacionária. O satélite será situado em sua posição definitiva a 61º Oeste e entrará em funcionamento após a realização dos últimos testes em órbita.

O Amazonas Nexus foi fabricado nas instalações da Thales Alenia Space em Cannes (França), e conta com uma destacada participação da indústria aeroespacial espanhola por meio de empresas como Thales Alenia Space Espanha, Sener, GMV e Aicox, entre outras.

Rentabilidade econômica

O projeto do novo satélite foi realizado com um investimento de aproximadamente 300 milhões de euros, que serão recuperados assim que ele estiver plenamente operacional. Desde sua implementação, a Hispasat estabeleceu vários acordos comerciais para o arrendamento a longo prazo de 60% da capacidade do Amazonas Nexus com operadoras e prestadores de serviço no âmbito governamental, bem como no da conectividade para o setor da aviação e em zonas remotas.

Desse modo, o Nexus leva embarcada a carga Greensat para a Tusass, a empresa nacional de comunicações da Groenlândia, e prestará serviços de acesso à Internet em todas as cidades e povoações remotas do norte e leste desse país que contam hoje com serviços de satélite, além de oferecer soluções corporativas para empresas de mineração e de backup para a restauração dos serviços de comunicação, em caso de emergência.

Este novo satélite incorpora também para a Artel a missão Pathfinder 2 da Força Espacial dos EUA. Essa missão inclui rigorosos níveis de proteção que cumprem com os elevados requisitos de segurança exigidos pelo Departamento de Defesa norte-americano. Para maior garantia, o Amazonas Nexus está equipado com o avançado sistema de encriptação CNSSP-12 para a telemetria e o telecontrole, o que o torna mais seguro e adequado para missões críticas.

Além disso, a Hispasat proporcionará à Intelsat vários gigahertz de capacidade em banda Ku a bordo do Amazonas Nexus para prestar serviços de conectividade aérea no continente americano e na região atlântica.

“Este é um projeto que resume perfeitamente o espírito da Redeia como operadora global de infraestruturas essenciais, pois será capaz de levar um bem tão básico na sociedade atual como a conectividade. Um projeto que, em última instância, contribui para a coesão social e territorial e que, tenho certeza, fortalecerá um desenvolvimento sólido, diversificado e sustentável” afirmou Beatriz Corredor, presidente da Redeia.

Jordi Hereu, presidente da Hispasat, destacou que o “Amazonas Nexus inaugura uma nova etapa, e nos permitirá abrir novos mercados e honrar nosso compromisso com os cidadãos para evitar que a desigualdade digital continue crescendo e tenham acesso a direitos digitais, educação e sanidade em lugares remotos. Queremos, portanto, agradecer à SpaceX, à Thales Alenia Space e a toda a equipe da Hispasat pelo trabalho realizado”.

Miguel Ángel Panduro, presidente executivo da Hispasat, explicou que “nosso satélite começa sua travessia para a posição definitiva a partir da qual oferecerá os serviços mais avançados para a América, a Groenlândia e os corredores norte e sul do Atlântico. Começa, assim, um novo período nesta missão, igualmente crucial, que é o lançamento, mas de vários meses de duração, até sua entrada em funcionamento”.

Sobre a Hispasat

A Hispasat, a operadora de satélites da Redeia, trabalha com o objetivo de ajudar os cidadãos a superar a desigualdade digital e promover o desenvolvimento sustentável da sociedade. É a principal ponte de comunicação entre os continentes europeu e americano como provedora de serviços de banda larga e de conectividade através de suas empresas na Espanha e na América Latina, onde tem sede a Hispamar, sua filial brasileira. É líder também na difusão e distribuição de conteúdos audiovisuais em espanhol e português, incluindo a transmissão de plataformas digitais de Televisão DTH (“Direct to home”, direto para casa, em inglês) e HDTV (Televisão de Alta Definição, por suas siglas em inglês). A Hispasat é o principal motor da inovação no setor aeroespacial espanhol e está comprometida com a sustentabilidade em toda sua cadeia de valor. Estas atividades a convertem em uma das principais empresas mundiais por receita em seu setor.

Para mais informações:

Víctor Inchausti:+34 667312948 vinchausti@hispasat.es

Iñaki Latasa: +34 638065148 ilatasa@hispasat.es